Buscar

Carreiras e Oportunidades de trabalho no Japão - Vistos e procedimentos

Como conseguir um trabalho no Japão após a graduação?

Sendo a terceira economia global do mundo, mais do que nunca o Japão vem se mostrando receptivo para o recrutamento de talentos internacionais em sua empresa. Vindo através dos estudos, nos últimos dez anos observamos que o número de alunos que após a graduação obtiveram um visto de trabalho praticamente triplicou! Nesse guia rápido, iremos mostrar alguns caminhos que profissionais usam para se integrar no mercado de trabalho Japonês.



Número de estudantes que conseguiram um visto de trabalho após a graduação e Top 10 ocupações para estudantes internacionais


Como um Geral, existem ao menos quatro processos utilizados para buscar trabalho no Japão, são os:
  1. "Caça ao Trabalho" - Job Hunting / 転職 (SHŪSHOKU)

  2. "Mudança de carreira" - Mid-Career Change / 転職 (TENSHOKU)

  3. Trabalhos na ´área Acadêmica 研究人材 (KENKYŪ)

  4. Empreendedorismo - STARTUP VISA

Antes de entrar em detalhes nele vale mencionar esses dois pontos de atenção:

  • Empresas tendem a priorizar aplicantes que já se encontram no Japão. Vir como estudante é uma das formas mais comuns de entrar no país e aplicar em empresas

  • Embora algumas empresas falam inglês, japonês ainda é a língua principal utilizada. Embora não seja o único critério, quanto maior o seu nível de japonês, mais chances você terá de encontrar um bom emprego.

転職 (SHŪSHOKU)


Conhecido como Job-Hunting (Caça ao Trabalho em português), Shushoku é um processo de busca de emprego com ampla competição, sendo um dos mais tradicionais no Japão. É conhecido por ser um processo longo, com várias etapas que se inicia normalmente 1 ano antes da graduação do aluno. A ideia base é para que, após a graduação, o aluno já saiba qual empresa ele irá ir.

Entre as muitas etapas, Shushoku pode ter uma prova de conteúdos básicos eliminatória tal como um vestibular, workshops em grupo, e diversas entrevistas. Já que no Japão, as leis trabalhistas tornam difíceis para um funcionário ser demitido, as empresas que utilizam esse processo precisam ter total certeza de que o aplicante é um bom candidato para o trabalho e que poderá se adaptar a cultura da empresa. Embora seja um processo bastante difícil, especialmente para alunos internacionais com o japonês não tão desenvolvido, o Shushoku apresenta benefícios como uma Carreira estável até aposentadoria e direitos trabalhistas mais fortes. Requisitos: Currículo, prova, e entrevista. Competição: alta Requisito de língua Japonesa: Alto (N2-N1)

Antecedência: Alta (1 ano antecedência) Períodos: Normalmente entre Janeiro e março

Diferenciações: estágio na empresa, inglês, experiência internacional.


Site útil: https://job.mynavi.jp/conts/2022/tok/global/schedule/index_en.html

Curiosidade: Empresas que utilizam esse método possuem Preferência por recém-graduados jovens e inexperientes. Como o aplicante terá 1 ano de treinamento após ser contratado pela empresa, elas não levam tanto em consideração a especialização acadêmica do aplicante. (Aplicantes de design, engenharia, história, psicologia podem aplicar para a mesma posição)


転職 (TENSHOKU)


Conhecido como Mid-Career Change (Caça ao Trabalho em português), Tenshoku é um processo de busca de emprego novo cada vez mais aceito no Japão. Normalmente as Aplicações são feitas por sites especializados e as empresas possuem vagas disponíveis por todo o ano. Como um geral, o Tenshoku funciona da forma como imaginamos uma busca de emprego usual. A empresa precisa de um especialista em x área e abre aplicação para candidatos em sistemas online. Normalmente essas empresas tendem a ser de porte menor que as que utilizam o Shushoku, sendo em grande parte Startups.

Japoneses e alunos internacionais acabam optando por esse processo quando querem buscar novos desafios na carreira, ou horas de trabalho mais flexível. Ao contrário do Shushoku, experiência no mercado de trabalho conta bastante para essa aplicação, principalmente se a experiência tiver sido em indústrias japonesas.


Por último, um dos grandes benefícios dessas empresas é que elas tendem a se comunicarem mais em inglês, com algumas aceitando candidatos mesmo se eles não falarem a língua.

Benefícios: Maiores salários, posições mais específicas, ambiente mais internacional. Requisitos: Currículo e entrevista. Competição: média-alta Requisito Japonês: Médio-Alto (N3-N2)

Antecedência: Média/Baixa Períodos: Todo o ano

Diferenciações: Experiências em empresas, capacitação técnica, inglês, experiência internacional.

Sites úteis:

https://www.doorkel.com/

https://www.linkedin.com/feed/

https://neuvoo.jp/

https://home.hireplanner.com/candidates/


TRABALHOS NA ÁREA ACADÊMICA 研究人材 (KENKYŪ)

Para profissionais com perfis acadêmicos, o Japão oferece oportunidades de fellowship e de trabalhos tanto em universidades como em institutos de pesquisa. Os critérios para essa posição vão variar drasticamente com o instituto no qual você vai estar aplicando, mas, como um geral, institutos de ciências aplicadas e tecnologias são mais abertos para pesquisadores independente da língua.


Por outro lado, a área de ciências humanas irá por muitas vezes exigir um nível avançado de língua japonesa. Para fellowships recomendamos a Japan Society for Promotion of Sciences (JSPS) enquanto você pode buscar por vagas de emprego no campo acadêmico através da plataforma J.REC.

Benefícios: prestígio acadêmico, ótima estruturas para pesquisa, bons salários.

Requisitos: currículo acadêmico, e profissional, recomendações, entrevistas. Competição: Média Requisito Japonês: Baixo-médio (N5-N2) Períodos: Fevereiro e Setembro

Antecedência: Média (seis meses antecedência) Diferenciações: Doutorado, publicações científicas, potencial da linha de pesquisa, inglês, japonês.

*maior assimilação em ciências naturais / aplicadas devido a língua Sites úteis:

https://www.jsps.go.jp/english/e-fellow/

https://jrecin.jst.go.jp/seek/SeekTop


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo