Buscar

5 curiosidades da língua japonesa que você não sabia

Post original kotoba.com.br


Interessantes e milenares, as curiosidades da língua japonesa encantam os olhares das pessoas por sua simplicidade e carisma. Cheias de originalidade, as peculiaridades do Japão e seu idioma carregam beleza e o modo de ser do japonês na relação entre eles e com o mundo.


Não sei vocês, mas desde pequeno eu escuto como o Japão é diferente e curioso em relação ao resto do mundo. Dá pra perceber logo de cara que o idioma é bem distinto daquele que nós brasileiros escutamos no dia a dia. Sem contar as gesticulações e as posturas que usamos para nos comunicar. Já parou pra pensar em como falamos com as nossas mãos? Até nisso, no uso das mãos, os japoneses são bem diferente da gente. Mas afinal de contas, quais são as grandes diferenças e curiosidades que a língua japonesa carrega?


Sem gênero Isso sempre foi algo que me chamou a atenção. Não existe o feminino e o masculino que conhecemos aqui no português. Não existe a preocupação de se eu usei o “a” ou o “o”. Você pode até se perguntar: como saber então quem está falando em um texto? Pois bem, no japonês as pessoas comumente se referem às outras pelo nome. Assim daria pra identificar se é um homem ou uma mulher. Além disso, existem palavras que são associadas mais a um gênero que ao outro, o que daria uma “pista” sobre quem está falando. Sem pronomes Existem pouquíssimos pronomes no Japão. Os que existem não carregam o gênero como “watashi” ou “anata”. “A minha escola” >> 【わたし の がっこう】. Percebe-se o uso da partícula 【の】 para determinar pertencimento. Vemos que substantivos, feito escola (em japonês, gakkou), não tem gênero na língua japonesa e não precisam ser acompanhados por um pronome, como acontece no português. “A escola é grande” >>【学校は大きいです】 (gakkou ha ookiidesu = escola é grande). Vemos que a palavra “escola” não carrega gênero e nem pronome. Quase sem singular ou plural Essa curiosidade peculiar da língua japonesa sempre foi algo muito estranho pra mim. No entanto, um quanto fácil de se acostumar. Diferente de nós, falantes da língua portuguesa, não existe uma diferença entre as palavras para indicar o plural. Palavras com “s” no final ou palavras como “temos” ou “existem” são algo desconhecido no japonês. Uê, mas como dizer que existe mais do que uma coisa? Caso seja importante a quantidade, especificar é um bom caminho, seja um ou 10. “Tem pessoa(s)” >> 【ひと が います】(hito ga imasu). “Tem uma pessoa” >> 【ひとが  ひとり います】(hito ga hitori imasu) “Tem quatro pessoas” >> 【ひとが  よにん います】(hito ga yonin imasu). O adjetivo "conjuga" Essa aqui é fantástica. No português, dizemos: “esta comida estava gostosa” e “esta comida está gostosa”. No português, é o verbo quem indica o tempo ao qual nos referimos. Tanto no passado como no presente o adjetivo “gostosa” é o mesmo, mas no japonês esse adjetivo é flexionado de acordo com o tempo verbal. Em japonês, essas sentenças ficam assim: 【この食べ物は おいしかった】 & 【この食べ物は おいしい】(kono tabemono ha oishikatta & kono tabemono ha oishii ). Eu, particularmente, penso que essa flexão vem pra facilitar. E muito! Ela deixa a comunicação mais objetiva e indica de forma clara o tempo verbal que está sendo aplicado.

Curiosidade extra! De todas as curiosidades esta é, talvez, a mais interessante! De acordo com uma pesquisa americana, o japonês é um dos idiomas mais “rápidos” do mundo. O estudo leva em consideração a quantidade média de sílabas expressadas por segundo como fator determinante. Nossos amigos da terra do sol nascente pronunciam em torno de 7.84 sílabas por segundo. Comparado com o inglês, que tem em média 6.19/s a língua japonesa fala 1.65 sílabas a mais por segundo!


Post Original: https://kotoba.com.br/curiosidades-lingua-japonesa/


64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo